Menos é o máximo

Dei mais uma vasculhada nos desfiles de Milão e resolvi escrever sobre duas grifes que são o oposto das que citei no post anterior. Adeptas do minimalismo, Jil Sander e Marni não tem cores ácidas em suas cartelas, não inventam shapes super-inusitados e nem precisam de uma inspiração específica, por vezes complexa demais. A preocupação com novidade existe, mas o maior arroubo de inovação diz respeito ao emprego de novos materiais, os tais tecidos tecnológicos, inevitáveis na moda do novo milênio.

jil-sander.jpg

O estilista Raf Simons diz que se inspirou na luz, em sua quarta coleção masculina para a Jil Sander. Simples assim. Tons claros, neutros e a escuridão da ausência de claridade. Tudo limpo, reto, em cores como branco, preto, cinza, azul clarinho, lilás e beges. A silhueta é seca, mas confortável. As camisas e pólos vêm fechadas até o último botão e dão um falso ar de nerd elegante, combinadas com bermudas de pregas em formato levemente encasulado. As calças? Variam entre as skinnies no meio da canela, as justas e compridas, e um modelo mais folgado, quase uma pantalona para meninos. Nos pés? Adivinhem. Sandália pesada, claro. Coleção urbana na medida certa.

marni.jpg

Consuelo Castiglione, famosa pelas idéias avançadas na linha feminina de sua Marni, também achou melhor limpar a versão masculina. Manteve a pegada tecno com materiais inusitados, como a tricoline empapelada das camisas ou o náilon fininho usado nos blazers e cabans, e trabalhou basicamente com uma cartela derivada de cinzas e azuis. Visualmente, a coleção conversa bastante com a da Jil Sander, com as camisas totalmente abotoadas, calças secas mais curtas e shape ajustado dos paletós. Tem até a pesada sandália nos pés, só que usada com meias pretas. Como complementos, muitas touquinhas e óculos poderosos.

bottega-veneta2.jpg

Vale citar ainda a gostosa coleção da Bottega Veneta, toda clarinha, com cara de roupa lavada e usada, bem confortável. Nesse caso, menos pretensão e mais atitude. Tudo de bom.

Ah! Repararam que, em várias fotos, os rapazes estão carregando bolsa? Olha a tendência se confirmando. Dá uma olhada: http://rgvogue.ig.com.br/moda/2007/06/27/e_ai_vai_encarar_871517.html 

4 Respostas to “Menos é o máximo”

  1. Maria Prata Says:

    E a sua bolsa, cadê? Vai encarar??

  2. dusinfernus Says:

    BENVINDO, FRANCÊS-BRAZUCA DE MERDE!

  3. oh, arrasando no blog novo! bjks.

  4. forademoda Says:

    Já ganhou post de recomendação!!! Adorei o blog!!!
    Eu já encaro minhas bolsas faz tempo! De todas as peças do vestuário marculino é a minha tara. Ainda bem, que o povo “lá de fora” (rs) está se preocupando com isso!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: